Multipropriedade imobiliária

Multipropriedade imobiliária: uma oportunidade após a crise

Investir na modalidade de compartilhamento, por meio da multipropriedade imobiliária pode ser a oportunidade para aquecer os negócios após a pandemia!

Essa prática começou em um momento de crise na Europa. O cenário da baixa economia possibilitou que vários compradores adquirissem e usufruíssem de um único imóvel.

Com o sucesso, se difundiu e é muito usual nos Estados Unidos também. No Brasil, recentemente tivemos a promulgação de uma lei que alterou o Código Civil e a Lei dos Registros Públicos para implementar no mundo jurídico a multipropriedade, modalidade que já acontecia na prática.

  Mas afinal, o que é a multipropriedade? É uma modalidade de compra de um único imóvel por várias pessoas, que serão proprietárias de uma fração de tempo neste imóvel. Ou seja, a multipropriedade imobiliária permite que vários proprietários sejam dono de um único imóvel e o utilizem por um tempo específico, durante temporadas alternadas.

Para visualizar: a casa de campo nº 05 pode ser de até 52 proprietários, em que cada um será proprietário do imóvel por uma semana ao ano!

Isso propicia aos empreendedores promissoras negociações, já que oferecerão um único imóvel a vários proprietários. Acaba abrangendo consumidores que não tem condições de ter a segunda residência e aqueles que não querem ter a despesa de uma segunda residência de forma integral.

Vantagens:

  • Economia – é muito menos custoso ter um período de tempo em uma multipropriedade do que ter os custos de uma segunda residência para lazer. Afinal, todos os custos são divididos igualmente entre os proprietários, proporcionais ao tempo que possuem da propriedade!
  • Sustentabilidade – os espaços físicos são aproveitados de uma melhor forma, já que os imóveis terão uso durante todo o ano.
  • Desenvolvimento da economia local – a região que possui uma multipripriedade imobiliária terá movimentação e fluxo de pessoas durante todo o ano e não somente nos períodos de férias e feriados.
  • Praticidade – as multipropriedades serão administradas por profissionais, como nos hotéis, que serão responsáveis por pagarem as contas, limpeza, conferência do local antes e após a utilização, diferentemente do que acontece ao ter um imóvel em condomínio comum.

Se pensarmos no imóvel que utilizamos para residir, não há motivos para a divisão. Mas se pensarmos na segunda casa, como a casa do campo, a casa da praia, a casa de veraneio, o espaço para trabalho em outra cidade.. enfim, estamos diante de situações em que a multipropriedade pode ser uma ótima alternativa.

Devemos repensar os modelos de empreendimentos imobiliários que o mercado vêm praticando, tendo em vista que as necessidades dos consumidores mudarão muito em função do período em que estamos vivendo. O mercado, como um todo, não será o mesmo. Estejamos preparados e com ideias inovadoras para as mudanças que virão!

Quer saber mais? Mande um e-mail para larissamatteadv@gmail.com

Leia sobre outros assuntos do Direito Imobiliário em: http://larissamatte.com/

Posts created 21

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

Begin typing your search term above and press enter to search. Press ESC to cancel.

Back To Top